Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA




Outras recomendações:

5.ª edição de Human Entities


Alexandre Estrela
Palácio Sinel de Cordes, Lisboa

A.A.A.


Manoel Barbosa, com Isabel Costa, António Dantas e Pedro Pestana
Mudas - Museu de Arte Contemporânea da Madeira, Funchal

ANDY


Gus Van Sant
Teatro Nacional D.Maria II, Lisboa

'BLACKMAIL' DE ALFRED HITCHCOCK


GABRIEL THIBAUDEAU
Cinemateca, Lisboa

The New Art Fest


Painel de discussão “NFTs TAKE OFF”
PLATAFORMAS ONLINE,

A Família Humana


Jorge Calado
Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira

A Música e o Mundo - Encontros Sonoros Atlânticos


Programação: Vasco Mendonça
Vários locais,

Voicing Care


Curadoria de Jen Clarke e Natsumi Sakamoto
PLATAFORMAS ONLINE,

Corpos Medievais


Pedro Neves Marques, Luís Silva
Galerias Municipais de Lisboa - Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Lisboa

Ernesto de Sousa e a criação de um pensamento curatorial


Delfim Sardo
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


VISITAS GUIADAS PELOS ARTISTAS ANDRÉ GOMES E PEDRO CALAPEZ

Seja dia ou seja noite pouco importa




MUSEU COLEÇÃO BERARDO
Praça do Império
1499-003 LISBOA

27 JUN - 27 JUN 2021


Seja dia ou seja noite pouco importa
André Gomes e Pedro Calapez


16/06/2021- 17/10/2021



Visita guiada pelos artistas André Gomes e Pedro Calapez:

27 de junho, domingo, às 16h30


Limite: 15 pessoas - inscrições abertas: https://pt.museuberardo.pt/educacao/atividades/visita-exposicao-seja-dia-ou-seja-noite-pouco-importa-de-andre-gomes-e-pedro#atividade_form



A exposição Seja dia ou seja noite pouco importa inclui obras inéditas de André Gomes e Pedro Calapez, sendo constituída por pinturas, desenhos e fotografias. Trata-se de ensaiar um cruzamento entre os olhares e meios de expressão destes dois artistas, no seguimento de uma longa cumplicidade relativa ao trabalho individual de cada um.
Com dois artistas em tudo diferentes, sem que algo aparentemente os aproxime, este projeto será eventualmente um género de cadavre exquis — «desencontro» improvável num inevitável «encontro». No entanto, entende-se esta exposição como um projeto coerente, de fortes correspondências, com unidade expositiva, uma vez que há um contínuo de temas e ideias nas práticas destes dois artistas.