Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Aniversário Casa Fernando Pessoa


Vários
Casa Fernando Pessoa, Lisboa

Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema


Vários
Cinemateca, Lisboa

Drácula - Lucy's Dream


Plexus Polaire
Cineteatro Louletano, Loulé

Abstracto, Branco, Tóxico e Volátil


Julião Sarmento
Museu Coleção Berardo, Lisboa

12ª Feira do Livro de Fotografia de Lisboa


Vários
Rua da Palma 246, Lisboa

MAL - Mercado Aberto do Livro


Vários
Dona Ajuda/P.R.A.Ç.A., Lisboa

Siza Talks 2022


Vários
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

A velocidade das coisas


Letícia Ramos
Escola das Artes | Universidade Católica do Porto, Porto

Lugares de Memória Arte e Espólios Documentais


Vários
Atelier-Museu Júlio Pomar, Lisboa

Nocturno de João Nisa e e filmes de David Lamelas, Larry Gottheim e Tacita Dean em 16mm


Vários
Cinemateca, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


RYOJI IKEDA E NUNO BRANDÃO COSTA

Conversa entre Ryoji Ikeda e Nuno Brandão Costa




FUNDAÇÃO DE SERRALVES
Rua D. João de Castro, 210
4150-417 PORTO

12 NOV - 12 NOV 2022


CONVERSA: 12 de Novembro, às 15h30, na Biblioteca de Serralves da Fundação de Serralves



Conversa entre o artista Ryoji Ikeda e o arquiteto Nuno Brandão da Costa sobre o micro | macro [pavilhão]. Nesta conversa, artista e arquiteto estabelecem um diálogo criativo sobre a conceção e o desenvolvimento domicro | macro [pavilhão]. A conversa será moderada por Philippe Vergne, Diretor do Museu de Arte Contemporânea de Serralves.

Ryoji Ikeda (1966, Gifu, Japão), um destacado compositor eletrónico e artista visual da atualidade, tem sido reconhecido como um dos mais radicais artistas a trabalhar no cruzamento entre artes visuais e a música. Orquestra de modo elaborado som, materiais visuais, fenómenos físicos e noções matemáticas em imersivas instalações e performances ao vivo.

Este projeto de um pavilhão temporário no Parque insere-se numa prática continuada de convidar artistas para criar e instalar trabalhos no património natural de Serralves. O pavilhão temporário foi concebido em colaboração com o arquiteto Nuno Brandão Costa, cujo escritório se situa no Porto.

Ryoji Ikeda já apresentou os seus trabalhos e exposições por todo o mundo, incluindo: Australian Centre for the Moving Image, Melbourne; MIT, Boston; Centre Pompidou, Paris; Festival Sónar Barcelona; Tate Modern, Londres; Irish Museum of Modern Art, Dublin; Auditorium Parco della Musica, Roma; lCC, Tóquio; Art Beijing; Göteborg Biennale; Elektra Festival Montreal; Le Fresnoy, Tourcoing; Yamaguchi Center for Arts and Media; Le Laboratoire, Paris; Museu de Arte Contemporânea de Tóquio; Ikon Gallery, Birmingham; Museu de Arte de Singapura; Festival Crossing the Line, Nova Iorque; Ars Electronica Center, Linz; Grec Festival, Barcelona; Aichi Triennale, Nagoya; Palazzo Grassi, Veneza; Armory Park Avenue, Nova Iorque; Barbican Centre, Londres; Museo de Arte, Bogotá; Hamburger Bahnhof, Berlim; Laboral, Gijon; Festival d’Automne, Paris; assim como em festivais de música eletrónica e pequenos clubes de DJs.

Nuno Brandão Costa formou-se na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP) em 1994, onde se doutorou em 2013 e leciona desde 1999. Foi assistente dos Professores Domingos Tavares e Pedro Ramalho, e é atualmente professor auxiliar do Projeto 4, unidade curricular que leciona desde 2001. Com José Miguel Rodrigues, foi coordenador da opção E — “Teoria e Práticas de Projeto” — do programa de doutoramento da FAUP. Entre 1992 e 1993 realizou um estágio curricular no ateliê Herzog & de Meuron em Basileia, Suíça, e entre 1993 e 1997 colaborou com José Fernando Gonçalves e Paulo Providência no Porto. Em 1998 inicia a sua prática na sequência do 1º prémio no Concurso para o projeto da Biblioteca da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Recebeu em 2004 o Prémio Revelação e Mérito Jornal Expresso — SIC, em 2008 o Prémio Secil, em 2011 o Prémio Vale da Gândara e em 2021 o Prémio AICA.