Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Uma Retrospectiva 2013-2023


Mariana Tengner Barros e Raquel Castro
ZDB 8 Marvila, Lisboa

A Revolução Angolana no Século XXI


Ruy Blanes
UCCLA (União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa), Lisboa

Feira de Natal Snob


Vários
Livraria Snob, Lisboa

Habitar Lisboa


Vários
Centro Cultural de Belém, Lisboa

EDIÇÃO LIMITADA | ANO 2


Vários
Galeria Santa Maria Maior, Lisboa

CALLAS E OS SEUS DUPLOS


João Pedro Cachopo ∙2023 SISTEMA SOLAR - DOCUMENTA 229
Cinemateca, Lisboa

O Estado da Investigação


Vários
Online,

Intervenções no espaço público


Rui Sanches
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Meeting the Man: James Baldwin in Paris


Vários
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

CONSTELAÇÕES


José Bragança de Miranda
Livraria Linha de Sombra, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


ANA CARVALHO, EDUARDA NEVES E PAULA GUERRA

Descentralização de Fundos para a Cultura




RAMPA
Pátio do Bolhão 125
4000-110

22 SET - 22 SET 2023


CONFERÊNCIA: Dia 22 de Setembro às 18h00 na RAMPA, Porto


:::


Em Portugal, o financiamento para a cultura tem sido motivo para duras críticas aos sucessivos governos. As queixas recorrentes centram-se na evidente insuficiência de verbas e na tendência para favorecer estruturas próximas do poder central. Acresce ainda a preocupação com a instrumentalização da cultura, frequentemente utilizada para complementar quadros programáticos, em especial quando se verifica falta de recursos humanos ou vontade política para abordar questões sociais relevantes e complexas.

Este problema parece ter raízes históricas. Durante o Estado Novo apenas a Fundação Calouste Gulbenkian conseguia contrariar a Política do Espírito promovida por António Ferro. Nos anos que se seguiram ao 25 de Abril, o Estado revelou-se incapaz de formular uma política cultural estruturada e coerente. Neste período procurou-se uma ligação direta entre a comunidade artística e o governo, integrando escritores, arquitetos ou artistas plásticos na Secretaria de Estado da Cultura. Porém, o elenco escolhido, considerado pouco plural e representativo do país real, colheu sucessivas críticas de 'bairrismo lisboeta'.

Nesta conferência serão explorados temas como a relação entre o Estado e a cultura, estratégias para financiamento alternativo, e a necessidade urgente de uma abordagem mais equitativa e democrática no ambiente cultural do país. Contamos com a presença de Ana Carvalho, da área da gestão cultural, da curadora Eduarda Neves e da investigadora Paula Guerra. A conferência será moderada pela investigadora e curadora Paula Parente Pinto.


:::


Ana Carvalho é diretora da EDITORIA, consultora do Município de Braga para a Estratégia Braga 2030 e doutoranda de Políticas Culturais na Universidade de Barcelona. Entre 2017 e 2019 foi diretora artística do Fórum Internacional Gaia dedicado à reflexão e programação sobre questões da sustentabilidade e alterações climáticas e entre setembro de 2014 e 2019 foi diretora do projeto Armazém 22. Foi consultora de projetos culturais para a CIM do Alto Minho. Trabalha como gestora cultural desde 1999 em diversas entidades do setor. Entre julho de 2011 e julho 2014 foi Subdiretora-geral da Direção-Geral das Artes (DGArtes), lugar que assume após dirigir a Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas – ADDICT. Em 2008, é convidada para coordenar os projetos europeus e as Relações com a Comissão Europeia no âmbito do Eixo Atlântico Alto Minho. Em 2006, coordena cientificamente a 1ª Pós-graduação em Marketing de Artes no Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM). Tem mestrado em Arts Management, pela City University, Londres, e licenciatura em Economia, pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e pós-graduação em Marketing Management pelo IPAM.

Eduarda Neves é professora de arte contemporânea, domínio no qual tem vários artigos e livros publicados. Curadora independente. A sua prática ensaística e curatorial articula os campos da arte, filosofia e política. Colaboradora da revista Contemporânea. Integrou a Comissão de Aquisição de arte contemporânea da Colecção do Estado Português e a Comissão de Aquisição de arte contemporânea da Colecção Municipal do Porto. Actualmente, é directora da Escola Superior Artística do Porto (ESAP).

Paula Guerra é Professora de Sociologia na Universidade do Porto e Investigadora no Instituto de Sociologia da mesma Universidade. Paula é Professora Associada Adjunta do Griffith Centre for Social and Cultural Research da Griffith University na Austrália. É fundadora/coordenadora da Rede Todas as Artes: Rede Luso-Afro-Brasileira de Sociologia da Cultura e das Artes e da KISMIF. É presidente da International Association for the Study of Popular Music (IASPM) Portugal e integra o board da Research Network de Sociologia da Arte da European Sociological Association. Coordena vários projetos de investigação subordinados às culturas juvenis, sociologia das artes e da cultura, cocriação, metodologias e técnicas de investigação, culturas DIY, entre outros temas. Tem igualmente orientado vários projetos de mestrado, doutoramento e pós- doutoramento nas áreas mencionadas. Paula é editora-chefe (com Andy Bennett) da revista da SAGE DIY, Alternative Cultures and Society.