Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Lançamento on-line de Mare Aethiopicum


Paulo Quintas
PLATAFORMAS ONLINE,

The Heretics


Joan Braderman
Cinema São Jorge, Lisboa

Sobre a nudez crua da verdade, o manto diáfano da fantasia


Doug Hall, Bill Viola, Akram Zaatari
MAAT, Lisboa

DRIFITING BODIES/ FLUENT SPACES


Encontro / Conferência
Vários locais / Guimarães, Guimarães

O vento do pensamento..., por Stefania Fantauzzi


Ciclo Imagens de Pensamento
Casa das Artes (Porto), Porto

Today, I am just a Butterfly...


Patrícia Almeida
Centro Cultural Vila Flor, Guimarães

Constelações III: uma coreografia de gestos mínimos


Curadoria: Ana Rito e Hugo Barata
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Under the Ground


ciclo de filmes de artistas e cinema experimental
Galeria Quadrum, Lisboa

Primeira lição de voo + O melhor mundo possível


Gustavo Sumpta
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Formula for Fantasy


Dasha Birukova
Galeria Quadrum, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


SEMINÁRIO

Como se Faz um povo




MUSEU DA ELECTRICIDADE
Avenida de Brasília, Central Tejo
1300-598 LISBOA

08 SET - 08 SET 2010


Como se Faz um Povo – Seminário
Integrado na exposição “Povo-People”


Com:
António Guerreiro
Antonio Negri
Bruno Peixe Dias
Diana Andringa
Fernando Oliveira Baptista
João Pinharanda
José Manuel dos Santos
José Neves
Manuela Ribeiro Sanches
Nuno Nabais




APRESENTAÇÃO

A Exposição “Povo-People” envolveu programas de investigação nas seguintes áreas: história, artes plásticas, filosofia, documentário e música. O presente seminário, que se realiza a poucos dias do encerramento da exposição, é a oportunidade para apresentar e discutir os resultados dos trabalhos realizados e dar início a futuros debates.



PROGRAMA

10h15 | Recepção dos inscritos

10h30 | VISITA GUIADA À EXPOSIÇÃO
Com João Pinharanda e José Manuel dos Santos, respectivamente comissário artístico e comissário coordenador da exposição.

11h30 | Debate: A HISTÓRIA E O POVO
Trinta e dois investigadores, entre os quais historiadores, antropólogos e sociólogos, realizaram trabalhos em torno das representações e práticas populares na História Contemporânea de Portugal. Esses trabalhos são ponto de partida para um debate que contará com as intervenções de Fernando Oliveira Baptista e de Manuela Ribeiro Sanches, assim como dos autores que participaram no livro Como se Faz um Povo – Ensaios em História Contemporânea de Portugal. A moderação do debate estará a cargo de José Neves, coordenador do livro e comissário científico da exposição.

| Intervalo de Almoço

15h | Conversa: O POVO FILMADO
A exposição “Povo-People” implicou um trabalho de pesquisa em arquivos de imagens em movimento que, do documentário à televisão, permitisse dar conta da história das práticas populares a nível da política, do trabalho ou dos lazeres, e de caminho permitisse questionar as mudanças nos modos de filmar o povo. Esse trabalho é o mote para uma conversa com Diana Andringa, comissária da exposição para o audiovisual e coordenadora da equipa que realizou os filmes.

16h15 | Debate: A POLÍTICA DOS MUITOS
Na sua dimensão política, a palavra povo convoca o debate em torno dos sujeitos colectivos. A partir do livro A Política dos Muitos – Povo, Classes e Multidão, que reúne textos de autores como Eric Hobsbawm, Michel Foucault, Giorgio Agamben, Antonio Negri ou Jacques Rancière, António Guerreiro e Nuno Nabais intervêm num debate moderado por Bruno Peixe Dias, organizador do livro, juntamente com José Neves.

18h15 | Conferência de Encerramento: ANTONIO NEGRI – ENTRE POVO E MULTIDÃO, O COMUM.
Nascido em Pádua em 1933, Antonio Negri é autor de inúmeros livros, tendo publicado recentemente Commonwealth. Com este livro, e depois de Império, uma das obras políticas que alcançou maior impacto no novo século, e de Multidão, Negri completou uma trilogia escrita em parceria com Michael Hardt e na qual os dois autores procuram construir uma nova gramática política, reactualizando experiências políticas e sociais dos anos 60 e 70 à luz dos actuais processos de globalização. Com tradução simultânea.


*Lotação limitada
Inscrições em:
fundacaoedp@edp.pt
210028130

Organização:
FUNDAÇÃO EDP



BIOS
António Guerreiro é crítico literário e tradutor. Escreve semanalmente no semanário Expresso. Encontra-se a realizar uma tese de doutoramento na Faculdade de Letras sobre Walter Benjamin.

Antonio Negri é um investigador independente e autor de uma vasta obra, na qual se destacam a recente trilogia escrita com Michael Hardt (Empire, Multitude e Commonwealth), os estudos sobre Maquiavel, Espinosa e Marx, e os textos políticos dos anos 60 e 70

Bruno Peixe Dias é investigador da Númena – Centro de Investigação em Ciências Sociais e Humanas e do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa.

Diana Andringa é jornalista e autora de vários documentários, o mais recente dos quais Tarrafal.

Fernando Oliveira Baptista é professor no Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa e autor de vários livros sobre sociologia e economia rurais, entre os quais A Política Agrária do Estado Novo.

João Pinharanda é professor na Universidade Autónoma de Lisboa, consultor artístico da Fundação EDP e foi Director Artístico do Museu de Arte Contemporânea de Elvas, entre 2007 e 2010. Tem publicado vários textos sobre a História da Arte em Portugal.

José Manuel dos Santos é director cultural da Fundação EDP, colunista do jornal Expresso e Comissário Coordenador da Exposição “Povo-People”.

José Neves é professor na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e investigador do Instituto de História Contemporânea da mesma universidade. É autor de Comunismo e Nacionalismo em Portugal – Política, Cultura e História no Século XX.

Manuela Ribeiro Sanches é professora na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e investigadora no Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Recentemente organizou o volume Portugal não é um país pequeno. Contar a Império na pós-colonialidade.

Nuno Nabais é professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e investigador do Centro de Filosofia da Ciência da Universidade de Lisboa. É fundador e coordenador da Fábrica de Braço de Prata e autor de A Metafísica do Trágico. Estudos sobre Nietzsche.