Links

ENTREVISTA



MAFALDA MIRANDA JACINTO


Mafalda, nascida em Lisboa em 1989, pensa a ansiedade da vida contemporânea nas suas mais variadas expressões; a solidão e o FOMO mas também a comicidade e a magia. Fá-lo privilegiando o discurso visual, em que o texto também aparece, e incorrendo pela multidisciplinariedade - que vai do seu trabalho de comunicação, ao teatro, aos desenhos.
LER MAIS

Programa de Apoio à Criação da Colecção 'la Caixa' de Arte Contemporânea


O ESTADO DA ARTE



VICTOR PINTO DA FONSECA


FRAGMENTOS DO PARAÍSO
Sabemos que arte e ciência se encontram historicamente ligadas. No entanto, o que caracteriza este século perturbado é uma total desconexão entre a arte e a ciência, e a perda pura e simples do que circulava entre elas de edificante (educativo). Desta interação decorre este texto — através da perspectiva da ciência procura compreender a natureza interna da arte na forma elementar da dinâmica do mundo, convidando o leitor a imaginar a arte como um conceito fundamental da ordem da entropia, transformando leis da física e da matemática, em arte.
LER MAIS

PERSPETIVA ATUAL

PEDRO CABRAL SANTO E NUNO ESTEVES DA SILVA


UPLOAD: BEUYS' MYTHOLOGY (WHO'S AFRAID OF FAT, FELT AND DEAD HARES?) - PARTE II
Se os primeiros anos do pós-guerra foram de absoluta devastação para a Alemanha, para os aliados, e em particular para a esquerda americana, foram inicialmente um momento de grande euforia, mas que rapidamente se desvaneceu. A vitória dos aliados parecia então poder unir, contra o fascismo, a estratégia da Frente Popular e o espírito do New Deal, liberais e radicais, os Estados Unidos e a União Soviética: a construção de um «novo mundo» pareceu por instantes possível. No entanto, no final da guerra, os Estados Unidos e a União Soviética podiam igualmente emergir como potências suficientemente fortes para dividir entre si o mundo, dando assim origem à realidade da guerra fria.
LER MAIS


OPINIÃO

JULIA FLAMINGO


O PROJETO INTERNACIONAL 4CS E COMO A ARTE PODE, MAIS DO QUE NUNCA, CRIAR NOVOS ESPAÇOS DE CONVIVÊNCIA
Iniciado em 2017, o projeto tem Portugal como país-sede e acontece em oito países em simultâneo. “O 4Cs é ambicioso - e talvez idealista - nos seus objetivos”, admite Luísa Santos, a curadora portuguesa que está à frente do programa. “Mas é preciso lembrar que é feito por um conjunto de instituições com um trabalho muito sólido na relação da arte com a sociedade, em particular em tempos de conflito”. Para além das fronteiras portuguesas, o projeto também tem exposições, programação de filmes, laboratórios de mediação, residências, workshops e conferências nas outras sete instituições parceiras.
LER MAIS

ARQUITETURA E DESIGN

PEDRO PORTUGAL


METROPOLIS, WORLD CITY & E.P.C.O.T. - AS VISÕES PARA A CIDADE PERFEITA IMAGINADAS POR GILLETTE, ANDERSEN E DISNEY
Platão escreveu na República que “qualquer cidade, por menor que seja, é de facto dividida em duas, uma a cidade dos pobres e outra a dos ricos”. Mas as metades dependem uma da outra. Os ricos precisam do trabalho e os pobres precisam do capital. Este texto apresenta uma investigação sobre 3 cidades sonhadas e nunca construídas: higienistas, totalitárias e controladas.
LER MAIS

MÚSICA

ANDRÉ FONTES


O CLASSICISMO DE NORMAN FUCKING ROCKWELL!
Foi empatia que me levou a gostar da Lana. Uma estrela pop com uma devoção à Sylvia Plath e ao Nabokov, que presta tributos de corte e colagem ao classicismo hollywoodesco e aos deuses dourados do rock, que no Born to Die nos cantou a tragédia de uma lolita perdida, que, no Ultraviolence, nos fez sentir a alienação de uma groupie masoquista, e que no Honeymoon, no brilhantíssimo Honeymoon, nos fez ouvir os choros de uma velha starlet, num saudosismo de quaaludes que contemplou as palmeiras de Sunset Boulevard e as primaveras da esperança.
LER MAIS




:: RExFORM - Projeto Internacional de Performance junta a BoCA e o maat para apoiar projectos performativos de jovens artistas portugueses até aos 35 anos
Projecto vencedor beneficia de 12 mil euros para investigação e produção - Candidaturas até 19 de julho.

:: Curtas de três realizadoras portuguesas com estreia conjunta a 9 de julho nos cinemas nacionais
Dia de Festa, de Sofia Bost, Ruby, de Mariana Gaivão, e Cães que ladram aos pássaros, de Leonor Teles, chegam às salas de cinema portuguesas no dia 9 de julho, depois de terem sido apresentadas em vários festivais internacionais.



PREVIEW

Nada ficou no lugar, e agora? - ciclo de conversas online sobre o futuro das artes performativas | 18 Jun >16 Jul, Teatro Municipal do Porto


Semanalmente, três convidados e um moderador da equipa do Teatro Municipal do Porto são desafiados a especularem sobre os possíveis novos contornos das artes performativas num mundo pós-confinamento, onde nada ficou no lugar.
LER MAIS

EXPOSIÇÕES ATUAIS

COLECTIVA

PAUSA | LIVROS - PARTE 2


PLATAFORMAS ONLINE,

Segunda parte da “exposição” literária visual, resultante da participação de mais de quarenta artistas e que fomos publicando no nosso Instagram artecapital.net a partir do dia 23 de Março 2020. O projeto PAUSA teve a autoria e curadoria de Sérgio Parreira.
LER MAIS SÉRGIO PARREIRA

ZHENG BO

THE SOFT AND WEAK ARE COMPANIONS OF LIFE


Kunsthalle Lissabon, Lisboa
Zheng Bo propõe através desta exposição uma reflexão sobre comunidades marginalizadas a partir de plantas marginalizadas. Apresentando ambientes quase oníricos onde o verde, o natural, o livre e o queer são celebrados, ambientes em que a Natureza e o Humano se fundem em relações sem hierarquias latentes.
LER MAIS DIOGO GRAÇA

PEDRO VALDEZ CARDOSO

O FILHO DO CAÇADOR


Appleton [Box], Lisboa
Pedro Valdez Cardoso encena um exercício estético e narrativo, deliberadamente oculto e fantasmático, que procura refletir sobre a identidade sexual, as relações familiares, o poder, a perda de inocência e o segredo.
LER MAIS FRANCISCA CORREIA

CATARINA BRAGA

POST-WORLD


PLATAFORMAS ONLINE,
A exposição “post-world” de Catarina Braga é uma instalação digital de .jpgs, .pngs, emojis, símbolos e texto, de dimensões variáveis e, além disso, articuláveis. Com os elementos que nos são dados pela artista podemos organizar ou compor um desenho da exposição, disponível para visualização e interacção.
LER MAIS CATARINA REAL

COLECTIVA

PAUSA | LIVROS - PARTE 1


PLATAFORMAS ONLINE,
Estávamos a iniciar um período temporalmente indefinido mas que já exigia de nós enquanto seres sociais uma extraordinária atenção e reação a um momento completamente novo e desconhecido. Perante esta realidade sem resolução instantânea, fomos forçados a ajustar comportamentos, novas formas de adquirir estímulos e identificação em isolamento.
LER MAIS SÉRGIO PARREIRA

NATÁLIA AZEVEDO ANDRADE

THORNS AND FISHBONES


PLATAFORMAS ONLINE,
“It wasn’t just green, it was the greenest of all places!”, talvez seja das reivindicações mais esclarecedoras deste e sobre este filme, assim como a asserção de que não podemos atingir a linha do horizonte, considerações tecidas no contexto das conversas entre as três crianças que, entediadas, imaginam histórias.
LER MAIS CATARINA REAL

LOURDES CASTRO

A VIDA COMO ELA É


Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto
O Museu de Arte Contemporânea de Serralves inaugurou uma exposição que cruza o intemporal com a maior atualidade. Lourdes Castro: A vida é como ela é! aponta para uma figura exemplar da criação artística que não se define por tempos e contextos, relembrando ao mesmo tempo que, independentemente da presente crise global, é necessário aceitar e, acima de tudo, viver.
LER MAIS CONSTANÇA BABO