Links

ENTREVISTA



HELENA FALCÃO CARNEIRO


Helena Falcão Carneiro nasceu no Porto em 1995, vive em Lisboa, é licenciada em Estudos Gerais com Minor em Expressão Plástica pela Universidade de Lisboa e mestre em Comunicação e Artes pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Tem vindo a participar em projectos nas áreas artísticas e das ciências sociais.
LER MAIS

O ESTADO DA ARTE



SÍLVIA PINTO COELHO


ESCOLA DE PROCRASTINAÇÃO, UM ESTUDO
Procrastinar era uma brincadeira que foi levada a sério. Não estávamos a falar de patologia (como falam alguns psicólogos e psiquiatras). Ou de pessoas que se sentem culpadas por adiar tarefas. Não! Falávamos da ambição de ter tempo para nada, para poder sair das produções em loop. Pescadinhas de rabo na boca de pesquisas curtas, criações pouco rodadas e partilhadas publicamente em dois, ou três dias de ESPECTÁCULO. ESPECTÁCULO! Falávamos de modos de produção artística. Mas poderíamos falar de modos de produção académica, modos de produção, modos de trabalho? Modos?
LER MAIS

PERSPETIVA ATUAL

PEDRO CABRAL SANTO


AMBIENTE RETINIANO – DE FRA ANGELICO A ØYVIND KOLÅ | PARTE 1
Quando estamos em presença de uma imagem visual pictórica não colocamos em causa o processo fisiológico que está a ocorrer, ou a existência dessa imagem fora da alçada dos sentidos, nomeadamente, da visão e do processamento pelo sistema visual. Uma «imagem» visualiza-se nessa relação estrita com o ato de ver (sendo o olho o seu natural interface). A perceção de uma imagem não difere nisso da perceção das diferentes facetas do mundo. No entanto, a existência da imagem, a sua «realidade», testemunha um facto que geralmente passa despercebido face à tendência para naturalizar a perceção: o entrelaçamento permanente do visual e da linguagem, do imaginário, e do simbólico – para falar como Lacan.
LER MAIS


OPINIÃO

CATARINA REAL


O Pintor e o pintar / A pintura e ….
POW! SPLAT YEAH! foi (e talvez continue sendo, não tendo ainda encontrado término, como diz Pedro O Novo) uma iniciativa conjunta do Sindicato dos Pintores - projecto de Mariana Gomes que promove encontros e exposições em torno da pintura, de pintores e suas práticas - e da Associação Córtex Frontal - sediada em Arraiolos, que dinamiza a vila com exposições e residências artísticas das mais variadas áreas da produção cultural, da escrita ao cinema passando pelas técnicas de impressão -; uma residência artística em duas partes realizada entre Arraiolos e Évora, com foco na experimentação da Gravura e da Serigrafia - com acompanhamento técnico especializado de Hugo Amorim e Vanda Sim-Sim, respectivamente - por parte de um grupo de jovens pintores. Nesse grupo, para além de eu mesma, Catarina Real, figuram Pedro O Novo, Sofia Mascate e Carlos Gaspar.
LER MAIS

ARQUITETURA E DESIGN

MADALENA FOLGADO


CALL FOR ARCHITECTS
Este é um convite a discorrer, de modo a tornar mais clara, essa mesma coisa que ressurge e nos abriga. É objetivamente uma chamada de trabalhos; textos e contextos inclusivos, dirigida a arquitetos-não-arquitetos, porque sempre estivemos juntos, acima do bem e do mal, para construir e para destruir. A ARTECAPITAL, Magazine de Arte, chama por textos ingenuamente perigosos, que destruam as formas de niilismo instaladas nas mais arraigadas convicções do que é arquitetura, do que pode ser-se arquiteto e do que pode e pode ser a experiência arquitetónica.
LER MAIS

ARTES PERFORMATIVAS

ANDRÉ FONTES


KILIG: UMA NARRATIVA INSPIRADA PELO LOST IN TRANSLATION DE ANDRÉ CARVALHO
Sabias que na Índia há uma palavra prà marca deixada na pele pela roupa apertada? «Karelu». E o André Carvalho tem uma música com esse nome. A música ilustra bem o significado da palavra… consegue ‘memo invocar a sensação duma comichão! E é single do álbum. Mas tens outra… a minha preferida… a «kilig»! É filipina. É a excitação relacionada com o amor. Olharmos nos olhos do nosso crush pela primeira vez, vermos alguém declarar-se a outra pessoa… Acho bonito. O mais próximo que temos, no português, é a «paixão». Mas a paixão não é kilig. A paixão é obsessiva e dói. Kilig é mais uma contemplação. Preenche-nos e eleva-nos.
LER MAIS




:: OPEN CALL sensing the city - sense of the city | Um projecto de exposição entre Berlim e Lisboa



PREVIEW

Ciclo de Cinema 'Cineclube Campo Aberto' | 21 Jan - 27 Jun, Brotéria, Lisboa


Numa tarde de cada mês, um tema serve de mote livre para o filme escolhido, para as curtas-metragens criadas e para as conversas a seguir.
LER MAIS

EXPOSIÇÕES ATUAIS

SAMSON KAMBALU

SAMSON KAMBALU: FRACTURE EMPIRE


Culturgest, Lisboa

A Culturgest, em Lisboa, está a dedicar uma exposição a Kambalu até 6 de fevereiro. Duas das salas são destinadas ao Sanguinetti Breakout Area, as outras seis salas mostram diversos trabalhos do artista, tecidos, postais, pequenos filmes absurdos (que ele define como estética nyau), e o seu projecto para o 4º pedestal de Trafalgar Square. A legitimidade fundadora de Kambalu parece reduzir-se neste momento à sua Sanguinetti Breakout Area, que data de 2015, o resto dificilmente tem densidade.
LER MAIS MARC LENOT

MANUEL SANTOS MAIA

UM LUGAR SEM PAÍS NO MUNDO


Espaço MIRA, Porto
O título da presente exposição revela a criação de um outro lugar, um lugar inexistente enquanto espaço físico. Um lugar que se estabelece pelo fazer, pelo vínculo e afeição, por um fazer de mãos dadas. Pela devolução de um tempo ao tempo. Cria-se um novo lugar de reflexão, de idealizações, de aprendizagem; um lugar que também pertence a quem vê e que surge dessa sinergia entre o artista, o colaborador, o espectador e a obra.
LER MAIS SUSANA CHIOCCA

VEIT STRATMANN

LUMIAR CITÉ


Lumiar Cité - Maumaus, Lisboa
A única forma possível de escrever sobre a mais recente exposição de Veit Stratmann na Lumiar Cité seria não escrever nada: deixar linhas em branco até ao fundo desta página. A exposição de Veit Stratmann é essa armadilha.
LER MAIS MIGUEL PINTO

MARK BRADFORD

ÁGORA


Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto
Bradford é um dos nomes que melhor definem a pintura das últimas duas décadas, prática cujas formas e possibilidades plásticas já se coadunam com as amplas heterogeneidade e pluralidade artísticas contemporâneas.
LER MAIS CONSTANÇA BABO

COLECTIVA

CHEFS-D'OEUVRE. PHOTOGRAPHIQUES DU MOMA. LA COLLECTION THOMAS WALTHER


Jeu de Paume (Concorde), Paris
Coleção de fotografias reunidas pelo colecionador alemão Thomas Walther e adquirida pelo MoMA, cerca de 230 fotografias de 120 fotógrafos datadas essencialmente do período entre as duas guerras e provenientes principalmente da Alemanha e dos Estados Unidos.
LER MAIS MARC LENOT

ELLIE GA

GYRES


ZDB - Galeria Zé dos Bois, Lisboa
Apresenta-se uma verdadeira oportunidade para uma experiência única num espaço expositivo, cheio de motivos sensoriais, pedagógicos e enigmáticos. Para escrever sobre esta experiência, decidi que iria falar na primeira pessoa.
LER MAIS MAURO DOS SANTOS GONÇALVES

PEDRO CALAPEZ & ALEXANDRE CONEFREY

UM ESTRANHO AQUI CHEGUEI


Galerias Municipais - Pavilhão Branco, Lisboa
O diálogo estético entrelaçado de Pedro Calapez e Alexandre Conefrey cria uma simbiose do universo pictórico que louva o sentimento trágico do ser humano, apresentando, assim, não uma leitura ilustrativa da obra romântica, mas, porventura, uma inspiração meditativa do que se entende por sublime na atualidade.
LER MAIS JOANA CONSIGLIERI