Links

ENTREVISTA



Pedro Cabral Santo


Pedro Cabral Santo apresentou recentemente Unconditionally, no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, uma proposta onde explora alguns dos temas que percorrem a sua obra. Desde o início dos anos 1990 que vem trabalhando em diversos formatos, onde a imagem se combina com a linguagem para construir um olhar atento e crítico à proliferação imagética da nossa contemporaneidade.
LER MAIS

O ESTADO DA ARTE



SAM THORNE


QUAL É A UTILIDADE? MUSEUS ASSUMEM PRÁTICA SOCIAL
“É tempo de voltar a pôr o urinol de Duchamp outra vez na casa de banho!” Este cativante grito de guerra pertence a Tania Bruguera. O recentemente expandido Museu de Queens tem sido um importante aliado na busca de Bruguera por uma “arte útil”. Nisto, ela não está sozinha. Tem sido um ano de alto nível para a arte útil, mesmo que haja apenas um pequeno consenso sobre como a designar (os actuais termos que vão à frente são prática social ou arte socialmente comprometida).
LER MAIS

:::.PASCAL FERREIRA (sala 1) :::.JOÃO JACINTO (sala 2)
(+)

PERSPETIVA ATUAL

ANA BARROSO


O Retorno do Animal. Abandonar e regressar a McCarthy: James franco adapta Child of God ao cinema
James Franco é um ávido e apaixonado leitor dos clássicos da literatura norte-americana e, na sua inflamação literária, dispôs-se a fazer o aparentemente impossível: adaptar Faulkner e McCarthy ao cinema. E, da intenção em adaptar Blood Meridian ao cinema, recuou a William Faulkner para voltar a McCarthy, mas agora a Child of God (obra publicada em 1973).
LER MAIS


OPINIÃO

FILIPA COIMBRA


Tanto Mar - Arquitectura em DERIVAção | Parte 1
A História não se repete, ainda bem, no entanto, a nossa, a dos portugueses, está repleta de partidas, facto que não parece espantoso num país já com tantos séculos onde, portanto, a palavra «repleta» cabe em tantas outras coisas. No que respeita às motivações que promovem estas partidas, a heterogeneidade é grande mas, deixemos de lado descobridores, colonizadores, colonos, «o salto», a guerra colonial, uma vez que no horizonte de Tanto Mar estão partidas mais recentes e é a começar nelas que nasce a necessidade e o interesse de – tal como nas outras – receber notícias. Estes nossos correspondentes são agora os arquitectos portugueses que estão lá fora.
LER MAIS

ARQUITETURA E DESIGN

ANTÓNIO COXITO


O MUNDO NA MÃO
Não sinto o teu corpo que toco, não sinto este teclado, sinto apenas as pontas dos meus dedos. A fenomenologia encerrou-nos neste paradigma, a tecnologia tem-lhe dado razão. Neste mundo onde o hedonismo ganhou o estatuto de direito adquirido e sendo a sua via eminentemente carnal, o designer vê-se na contingência de ter de dominar outros sentidos para além do da visão, a começar pelo tacto, para comunicar.
LER MAIS

MÚSICA

LIZ VAHIA


!VON CALHAU!
Surgidos no Porto em 2006, !Von Calhau! são Marta Baptista e João Alves. O corpo de trabalho dos !Von Calhau! estende-se por diversas áreas, que vão desde a música às artes visuais e ao filme. Neste momento podemos ver o seu trabalho na exposição “12 Contemporâneos: Estados Presentes”, na Fundação de Serralves.
LER MAIS

BLOGSITE EM RESIDÊNCIA

EXPANDED CINEMA: ACTIVATING THE SPACE OF RECEPTION




CHINA CONCERTO (THREE EXCERPTS)







PREVIEW

Ângela Ferreira, Indépendance Cha Cha


A participação de Ângela Ferreira na Bienal de Lubumbashi em 2013 deu-se com a instalação Entre dans la mine, em que usa um edifício modernista de Claude Strebelle, agora um posto de combustível na Avenida Munongo, no centro da cidade, como suporte de um objecto escultórico que invoca o constructivista russo Vladimir Tatlin (1885-1953). O Lumiar Cité recebe agora Indépendance Cha Cha, onde se combinam materiais provenientes desta participação da artista na Bienal.
LER MAIS

EXPOSIÇÕES ATUAIS

PEDRO CABRAL SANTO

Unconditionally


Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, Coimbra
Pedro Cabral Santo propõe-nos sempre uma visão para lá das formas e do aparente reconhecimento dos objectos usados. Vamos encontrando e encontrando-nos com meios e técnicas distintas, com objectos híbridos resultantes de uma confluência de instalações-esculturas-vídeos-pinturas, uma característica da obra de Pedro Cabral Santo, que desde os anos 1990 nos vem interpelando de maneira irónica e surpreendente através do uso quase “doméstico” que faz da tecnologia.
Liz Vahia

Rui Chafes

O Peso do Paraíso


CAM - Centro de Arte Moderna, Lisboa
Há uma procura de transcendência na obra de Rui Chafes a que a utilização do ferro como matéria-prima não é alheia. São peças que dialogam com o nosso corpo. Sempre. Obrigam o corpo a relacionar-se com elas, a reagir, a afastar-se, rodear, espreitar. São elas próprias corpos. É a presença do divino.
LER MAIS Bárbara Valentina

COLECTIVA

10ª edição do Prémio EDP Novos Artistas


GALERIA FUNDAÇÃO EDP PORTO , Porto
Entre 567 candidaturas Filipa Oliveira, João Pinharanda e Sérgio Mah selecionaram os 9 finalistas cujos trabalhos podem ainda ser vistos na galeria da Fundação EDP e na Casa da Música no Porto. São na sua maioria produzidos especificamente para a exposição e este espaço, e desenvolvidos sob o olhar atento dos curadores. Vão do desenho à pintura, da escultura à instalação, do vídeo à performance e atravessam problemáticas tão distintas que a sua exibição coletiva evidencia mais ainda a singularidade de cada proposta.
LER MAIS Rita Xavier Monteiro

COLECTIVA

12 Contemporâneos: Estados Presentes


Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto
Reflectindo sobre toda esta montagem de estados contemporâneos, a montante do legado de anteriores exposições colectivas de artistas portugueses em Serralves e a jusante da questão de uma escolha que não esgota as possibilidades (apenas queima um cartucho de combinações); há que esfregar os olhos para não cair na tentação de se querer adivinhar o futuro.
LER MAIS Vera Santos

MIGUEL BRANCO

TERRA


Galeria João Esteves de Oliveira, Lisboa
Visitar Terra é entrar no espaço polifónico da contemporaneidade, onde diversas referências históricas e artísticas se misturam e diferentes processos técnicos se conjugam, numa aparente uniformidade pictórica. Os desenhos da série Terra são gerados ou decorrem de um processo de trabalho específico, um processo que não precisa de um referente concreto para actuar, que se alimenta fagocitando outras imagens e referências, sendo impossível destrinçar já qualquer ideia de origem.
LER MAIS Liz Vahia

SUSANA MENDES SILVA

Rectangle Disorder


Fundação Leal Rios, Lisboa
À palavra inglesa disorder correspondem, em português, duas significações distintas: desordem - ausência de ordem, desarranjo, desorganização - ; e distúrbio - na sua acepção patológica, enquanto perturbação psíquica. A exposição Rectangle Disorder, de Susana Mendes Silva, convoca o espectador, o material e o espaço de exibição, para discutir as possibilidades contidas nesta polissemia, a partir da estabilidade geométrica de um rectângulo.
LER MAIS Ana Cristina Cachola

SAMMY BALOJI E ALICE SEELEY HARRIS

‘When Harmony Went to Hell’, Congo Dialogues: Alice Seeley Harris and Sammy Baloji


Rivington Place, Londres
A Rivington Place tem neste momento patente uma exposição de fotografia notável que estabelece um diálogo, tornado explícito no título da exposição, entre dois corpos de trabalho fotográfico muito distintos: um projecto em desenvolvimento do fotógrafo congolês Sammy Baloji, entitulado Congo Urban: Rhythms of Syncopation and Suspension, a sua primeira exposição individual no Reino Unido, que ocupa o espaço expositivo maior de Rivington Place, o Project Space 1; e no Project Space 2, o arquivo fotográfico, realizado pela missionária britânica Alice Seeley Harris (1870-1970) em 1904, das atrocidades cometidas pelo Rei Leopoldo II (1835-1909) no território em relação qual as nações coloniais europeias e os Estados Unidos decidiram, na Conferência de Berlim de 1884-85, que deveria ser administrado privadamente por ele – o ironicamente chamado Estado Livre do Congo (1884-1908), presentemente, República Democrática do Congo, o país de Baloji.
LER MAIS Ana Balona de Oliveira