Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 

share |

MINISTRO DA CULTURA INAUGURA EM CHAVES EXPOSIÇÃO DE OBRAS DA SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA

2017-04-21




O Museu de Arte Contemporânea de Serralves apresenta, a partir de 28 de abril, no Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, em Chaves, a exposição “Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa – Obras em depósito da Secretaria de Estado da Cultura na Coleção de Serralves”. A exposição é inaugurada no dia 28 de abril às 18h, com a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, e da Presidente da Fundação de Serralves, Ana Pinho.

Esta mostra faz parte do intenso programa de exposições itinerantes que o Museu de Serralves desenvolve em todo o país e que tem como grande objetivo tornar a Coleção de arte contemporânea de Serralves acessível para além das portas do Museu, permitindo o alargamento da rede de acesso e de aproximação das populações à arte e à cultura.

“Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa” reúne 30 obras da Coleção da Secretaria de Estado da Cultura em depósito no Museu de Arte Contemporânea de Serralves. A exposição representa, por um lado, os primórdios da constituição da Coleção de arte contemporânea de Serralves e, por outro, uma perspetiva muito singular sobre a arte produzida em Portugal entre as décadas de 1960 e de 1980. Evidenciando a abstração, a abertura à linguagem, à redefinição da figuração e da representação na criação pictórica e escultórica, as obras de artistas como Fernando Lanhas, António Sena, Lourdes Castro, José Pedro Croft são emblemáticas desta diversidade de expressões tão patente nesta coleção.

Desde o momento da sua criação, um dos principais desígnios da Fundação de Serralves e do seu Museu de Arte Contemporânea, que resultou da vontade do Estado enquanto seu Fundador, foi o de albergar em depósito as obras do acervo do património do Estado, o que consubstancia a prestação de um serviço público. A Fundação de Serralves assumiu esta importante missão que lhe foi confiada, e as obras que fazem parte deste acervo são peças fundamentais da identidade da Coleção de Serralves. Neste sentido, e dentro das muitas atividades realizadas no âmbito da Coleção de Serralves durante o ano de 2017, “Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa” dará continuidade ao estudo e divulgação das obras pertencentes à Coleção da Secretaria de Estado da Cultura.

“Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa – Obras em depósito da Secretaria de Estado da Cultura na Coleção de Serralves” fica em exposição no Museu Nadir Afonso até 15 de outubro.


Artistas representados na exposição

Manuel Baptista, Eduardo Batarda, René Bertholo, Joaquim Bravo, Pedro Cabrita Reis, Pedro Calapez, António Campos Rosado, Alberto Carneiro, José de Carvalho, Lourdes Castro, José Pedro Croft, António Dacosta, José de Guimarães, Fernando Lanhas, Álvaro Lapa, José Loureiro, Jorge Martins, Graça Morais, António Palolo, Júlio Pomar, Paula Rego, Joaquim Rodrigo, Manuel Rosa, Julião Sarmento, António Sena, Nikias Skapinakis, Ângelo de Sousa, João Vieira.


Sobre a Coleção de arte contemporânea de Serralves

A Coleção de Serralves integra obras de artistas portugueses e estrangeiros, oriundos de todos os continentes. É composta por obras que são propriedade da Fundação de Serralves e por obras provenientes de várias coleções privadas e públicas, que foram objeto de depósito de longo prazo. De entre os acervos depositados em Serralves, que constituíram pontos de referência para o desenvolvimento da Coleção de Serralves, contam-se a Coleção da Secretaria de Estado da Cultura e a Coleção da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD). A Coleção de Serralves inclui ainda livros e edições de artistas. Informação pormenorizada sobre este acervo pode ser consultada em http://biblioteca.serralves.pt/.

O núcleo da Coleção de Serralves é a arte contemporânea produzida desde os anos 1960 até à atualidade. Arte produzida antes de 1960 pode também ser considerada em função da sua relevância para a Coleção e os artistas nela representados. “Circa 1968”, a exposição inaugural do Museu de Arte Contemporânea de Serralves em 1999, deu particular destaque às décadas seminais de 1960 e 70, período histórico de mudanças políticas, sociais e culturais a nível planetário, que assistiu à emergência de novos paradigmas do fazer artístico e ao nascimento da era pós-moderna.

Cumprindo o seu programa de pesquisa e desenvolvimento permanentes, a Coleção de Serralves pretende distinguir-se por uma aturada atenção à criação do século XXI, em particular à relação das artes visuais com a performance, a arquitetura e a contempo­raneidade no âmbito de um presente pós-colonial e globalizado. Embora repercutindo a arte e as ideias do nosso passado recente, a Coleção tem como objetivo refletir sobre o modo como a arte de hoje também antecipa o seu futuro.


Local da exposição:
Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso
Av. 5 de Outubro nº 10
5400-017 Chaves

Horário:
Terça a domingo, 10h00 - 13h00 e 14h00 - 17h00



Fonte: Serralves