Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


PRÉMIO TURNER SUBSTITUÍDO POR BOLSAS A 10 ARTISTAS ESTE ANO

2020-05-26




O Prémio Turner, uma das mais importantes distinções mundiais das artes plásticas, vai ser este ano substituído pela entrega de bolsas de estudo a dez artistas selecionados pelo júri, anunciou hoje a Tate Britain.

Em resposta à atual situação de pandemia de covid-19, a instituição anunciou que as bolsas terão um valor individual de 10 mil libras (cerca de 11 mil euros), e serão atribuídas no final de junho próximo, de acordo com um comunicado da instituição.

"Com as presentes restrições, não foi possível conseguir o tempo necessário para montar a exposição anual do prémio, por isso foi tomada a decisão de apoiar um maior número de artistas neste período de profunda perturbação e incerteza", justifica a Tate Britan.

Designadas "Turner Bursaries", as bolsas foram criadas "graças a generosas contribuições de mecenas" da Tate, adiantam.

O Prémio Turner para as artes visuais foi criado em 1984 com o nome do pintor William Turner (1775-1851) e é atribuído anualmente a artistas nascidos ou a residir no Reino Unido, com base no trabalho desenvolvido no ano anterior.

O diretor da Tate Britain e presidente do júri do Prémio Turner, Alex Farquharson, assinala, no comunicado, que "o encerramento das galerias e a obrigatoriedade da distância social são medidas muitos importantes, mas também causaram grande perturbação na vida dos artistas".

"A logística da organização da exposição do prémio tornou-se impossível nas atuais circunstâncias, portanto decidimos apoiar mais artistas durante este tempo excecionalmente difícil", acrescenta.

Farquharson lembra ainda o pintor William Turner e a forma como decidiu, um dia, legar a sua fortuna para ajudar artistas carenciados: "Ele teria aprovado a nossa decisão".

"Sei que os visitantes da exposição vão ficar desapontados pelo facto de não haver Prémio Turner este ano, mas estamos ansiosos pelo regresso em 2021", afirma.

As bolsas deste ano serão atribuídas pelo júri com base nos mesmos critérios das exposições realizadas pelos artistas.

Os membros do júri são o curador do Instituto de Artes Contemporâneas Richard Birkett, a diretora do Centro BALTIC para a Arte Contemporânea, Sarah Munro, o diretor da Bienal de Liverpool, Fatos Üstek, e ainda o curador e designer Duro Olowu.

No ano passado, os quatro finalistas - Lawrence Abu Hamdan, Helen Cammock, Tai Shani e Oscar Murillo - reuniram-se num coletivo, a quem o prémio foi atribuído.





FONTE: Notícias ao Minuto