Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

O "Roman Porno" da Nikkatsu [1971-2016]


Ciclo de Cinema
Cinema Nimas, Lisboa

We are the King of Ventilators (Delirium Loop)


Tim Etchells / Jim Fletcher / Chris Thorpe
Teatro do Bairro Alto - TBA, Lisboa

Conversas online


Grada Kilomba
PLATAFORMAS ONLINE,

Lançamento do Catálogo Uma série de prestações absolutamente improváveis, porém extraordinárias


Arthur Jafa
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

«A Minha Obra e Eu»


Albuquerque Mendes
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Violoncelo Explodido: Fragmentação e Dispersão como estratégias para uma prática de improvisação site-specific


Ricardo Jacinto
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Conversa MART


Gonçalo Pena
Córtex Frontal - Residência de Arte e Investigação, Arraiolos

As coisas fundadas no silêncio


CINEMA
PLATAFORMAS ONLINE,

MÁSCARA DE AÇO CONTRA ABISMO AZUL


Paulo Rocha
Cinemateca, Lisboa

BoCA Online


Programa de Criação Artística e Circulação de Pensamento
PLATAFORMAS ONLINE,

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


ACHILLE MBEMBE

Fronteiras




CULTURGEST
Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos, Rua Arco do Cego
1000-300 LISBOA

04 MAI - 08 MAI 2020


Disponível a partir do website da Culturgest:
https://www.culturgest.pt/pt/programacao/fronteiras-achille-mbembe/?





O historiador Achille Mbembe esteve Lisboa, em outubro de 2018, para apresentar a conferência com o tema "Para um Mundo sem Fronteiras" que é retomado agora, à luz de uma realidade completamente diferente.

Em pouco tempo, a forma como nos podemos mover no mundo alterou-se radicalmente. As fronteiras que antes eram de Uniões ou de Estados, ergueram-se e aproximaram-se da nossa região, da nossa cidade, da nossa rua ou mesmo da nossa casa. A mobilidade que muitos de nós — principalmente quem vive num país europeu — tinha como garantida, ficou em suspenso.

Poderemos agora, a partir de uma nova perspetiva trazida por esta experiência, considerar as várias dimensões da mobilidade mundial, a sua história de inclusão, mas as suas muitas histórias de exclusão sobre quem tem podido, efetivamente, habitar ou não este planeta.

Neste âmbito, ao longo da semana, a Culturgest divulga diversos conteúdos: um testemunho de Achille Mbembe sobre a atualidade à luz do aparecimento da pandemia COVID-19, um texto e será recordada ainda a conferência integral em áudio dada pelo historiador na Culturgest.

Já esta semana, é divulgado um outro texto escrito pelo autor e publicado no site da Buala: O Direito Universal à Respiração, uma defesa do direito a respirar em tempos de pandemia mas também um alerta acerca do dever de “recompormos uma Terra habitável”. O texto está acessível neste link: http://mkt.culturgest.org.pt/go/d560749ce49b450a67f6c043f2036-5-8d6513594e811894f--depe2pjevbDkenSe8B0YL

A questão fica lançada: “Seremos capazes de redescobrir a nossa pertença à mesma espécie e o nosso inquebrável vínculo à totalidade do vivo? Talvez esta seja a derradeira questão, antes que a porta se feche para sempre”.


:::


Achille Mbembe (Camarões, 1957) é professor de História e Política no Wits Institute for Social and Economic Research da Universidade de Witwatersrand (Joanesburgo, África do Sul) e em Harvard. Doutorado em História e Política (Universidade de Paris I-Panthéon Sorbonne e Instituto de Estudos Políticos em Paris), ensinou em Berkeley, Columbia e Yale.
É membro da Academia Americana de Artes e Ciências e dirigiu o Council for the Development of Social Science Research in Africa, em Dakar (Senegal). Nesta cidade cocriou, em 2016, Les Ateliers de la Pensée, um espaço de debate vital e de encontro entre pensadores, académicos e artistas, do continente africano e suas diásporas.
Um importante pensador no campo da teoria crítica, da história, da estética e da filosofia política, tem trabalhado extensivamente sobre a teoria pós-colonial e a política africana.
Das suas publicações destacam-se On the Postcolony, Crítica da Razão Negra (prémio literário Geschwister Scholl, 2015), Políticas da Inimizade e Brutalisme (2020). Em 2018, foi galardoado com os prémios Ernest Bloch e Gerda Henkel.