Links

ENTREVISTA


Aloña Intxaurrandieta


Orazio Gentileschi, “Lot and His Daughters”, 1628


Artemisia Gentileschi, “Judith and Holofernes”, 1621


Sonia Delaunay, “Couverture”, 1911


Robert Delaunay, “Windows Open Simultaneously (First Part, Third Motif)”, 1912


Logo Wiki-Historias

Outras entrevistas:

MAX HOOPER SCHNEIDER



BEATRIZ ALBUQUERQUE



VIRGINIA TORRENTE, JACOBO CASTELLANO E NOÉ SENDAS



PENELOPE CURTIS



EUGÉNIA MUSSA E CRISTIANA TEJO



RUI CHAFES



PAULO RIBEIRO



KERRY JAMES MARSHALL



CÍNTIA GIL



NOÉ SENDAS



FELIX MULA



ALEX KATZ



PEDRO TUDELA



SANDRO RESENDE



ANA JOTTA



ROSELEE GOLDBERG



MARTA MESTRE



NICOLAS BOURRIAUD



SOLANGE FARKAS



JOÃO FERREIRA



POGO TEATRO



JOSÉ BARRIAS



JORGE MOLDER



RUI POÇAS



JACK HALBERSTAM



JORGE GASPAR e ANA MARIN



GIULIANA BRUNO



IRINA POPOVA



CAMILLE MORINEAU



MIGUEL WANDSCHNEIDER



ÂNGELA M. FERREIRA



BRIAN GRIFFIN



DELFIM SARDO



ÂNGELA FERREIRA



PEDRO CABRAL SANTO



CARLA OLIVEIRA



NUNO FARIA



EUGENIO LOPEZ



JOÃO PEDRO RODRIGUES E JOÃO RUI GUERRA DA MATA



ISABEL CARLOS



TEIXEIRA COELHO



PEDRO COSTA



AUGUSTO CANEDO - BIENAL DE CERVEIRA



LUCAS CIMINO, GALERISTA



NEVILLE D’ALMEIDA



MICHAEL PETRY - Diretor do MOCA London



PAULO HERKENHOFF



CHUS MARTÍNEZ



MASSIMILIANO GIONI



MÁRIO TEIXEIRA DA SILVA ::: MÓDULO - CENTRO DIFUSOR DE ARTE



ANTON VIDOKLE



TOBI MAIER



ELIZABETH DE PORTZAMPARC



DOCLISBOA’ 12



PEDRO LAPA



CUAUHTÉMOC MEDINA



ANNA RAMOS (RÀDIO WEB MACBA)



CATARINA MARTINS



NICOLAS GALLEY



GABRIELA VAZ-PINHEIRO



BARTOMEU MARÍ



MARTINE ROBIN - Château de Servières



BABETTE MANGOLTE
Entrevista de Luciana Fina



RUI PRATA - Encontros da Imagem



BETTINA FUNCKE, editora de 100 NOTES – 100 THOUGHTS / dOCUMENTA (13)



JOSÉ ROCA - 8ª Bienal do Mercosul



LUÍS SILVA - Kunsthalle Lissabon



GERARDO MOSQUERA - PHotoEspaña



GIULIETTA SPERANZA



RUTH ADDISON



BÁRBARA COUTINHO



CARLOS URROZ



SUSANA GOMES DA SILVA



CAROLYN CHRISTOV-BAKARGIEV



HELENA BARRANHA



MARTA GILI



MOACIR DOS ANJOS



HELENA DE FREITAS



JOSÉ MAIA



CHRISTINE BUCI-GLUCKSMANN



TIAGO HESPANHA



TINY DOMINGOS



DAVID SANTOS



EDUARDO GARCÍA NIETO



VALERIE KABOV



ANTÓNIO PINTO RIBEIRO



PAULO REIS



GERARDO MOSQUERA



EUGENE TAN



PAULO CUNHA E SILVA



NICOLAS BOURRIAUD



JOSÉ ANTÓNIO FERNANDES DIAS



PEDRO GADANHO



GABRIEL ABRANTES



HU FANG



IVO MESQUITA



ANTHONY HUBERMAN



MAGDA DANYSZ



SÉRGIO MAH



ANDREW HOWARD



ALEXANDRE POMAR



CATHERINE MILLET



JOÃO PINHARANDA



LISETTE LAGNADO



NATASA PETRESIN



PABLO LEÓN DE LA BARRA



ESRA SARIGEDIK



FERNANDO ALVIM



ANNETTE MESSAGER



RAQUEL HENRIQUES DA SILVA



JEAN-FRANÇOIS CHOUGNET



MARC-OLIVIER WAHLER



JORGE DIAS



GEORG SCHÖLLHAMMER



JOÃO RIBAS



LUÍS SERPA



JOSÉ AMARAL LOPES



LUÍS SÁRAGGA LEAL



ANTOINE DE GALBERT



JORGE MOLDER



MANUEL J. BORJA-VILLEL



MIGUEL VON HAFE PÉREZ



JOÃO RENDEIRO



MARGARIDA VEIGA



share |

ALOÑA INTXAURRANDIETA


Entrevista a Aloña Intxaurrandieta, uma das constituintes da Wiki-historias, plataforma de intervenção cultural local, do País Vasco, e também on-line, cujo objectivo primordial é reunir mulheres para que em conjunto possam gerar mecanismos para uma sua maior integração no mercado da arte, quer da produção artística de mulheres artistas, quer de mulheres mediadoras. A reescrita da (muitas vezes subjectiva) história da arte, e a criação de paradigmas discursivos mais justos desde uma perspectiva de género, tem vindo a ser um dos objectivos desta plataforma que procura contrariar um sistema que reproduz modelos falocêntricos, não só nas representações artísticas da feminilidade mas também no sistema de legitimação de artistas e que, portanto, ainda tende a favorecer claramente mais os homens em detrimento das mulheres. Procuramos nesta entrevista com Aloña Intxaurrandieta conhecer melhor a plataforma Wik-historias e alguns dos seus desígnios.

Por Rui Pedro Fonseca
Bilbao, 18 de Novembro de 2009



P: Quais são os desígnios da Wiki-Historias?

R: A Wiki-Historias, criada por Haizea Barcenilla e Saioa Olmo, nasce como um projecto que pretende propor uma construção diferente da história, que seja capaz de se distanciar do ponto de vista unilateral que tem sido construída e que tem deixado de lado tantos tipos de expressões artísticas, entre outras, criadas por mulheres. Para isso, tem-se como base una página web em formato Wiki (participativa) na qual todas as artistas e mediadoras do Pais Vasco que, caso assim o desejem, podem editar, acrescentar e comentar informação.


P: Uma das características da Wiki-Historias, e que está bem marcada no manifesto, consiste em contribuir para dar um novo sentido à história da arte através da sua reescrita. A reescrita da história da arte feita por mulheres e sobre obras de mulheres continua a ter muitos obstáculos para quem produz e para quem escreve?

R: Embora durante os últimos anos o interesse pela arte criada por mulheres tenha vindo a aumentar através de retrospectivas ou investigações, também é claro que ainda há muito trabalho por fazer. Pode cair-se no erro de agrupar todas as artistas dentro de um mesmo grupo apenas pelo facto de serem mulheres, mas não me parece que tenha ocorrido a alguém partir desse mesmo modelo em relação a “homens artistas”.


P: Partindo de uma imagem simples de que todas as contribuidoras da Wiki estão num mesmo barco (incluindo artistas), parece-lhe que todas remam e têm intenções de dirigir o barco a um mesmo ponto? Ou seja, há por parte de todas uma homogeneidade de intenções em trabalhar e actuar dentro do mundo da arte e a partir da Wiki?

R: Os interesses de cada uma podem ser muito diferentes, mas a participação na Wiki supostamente deveria ser direccionada à reescrita crítica da história. No entanto, devido à liberdade de participação, o conjunto de todas imagens é difuso, e às vezes perde-se de vista um objectivo final, porque além do mais utiliza-se a web para outros fins. A nossa intenção é que a Wiki sirva de ponto de encontro a todas as suas participantes que, ao contrário de uma base de dados fechada e dirigida a partir de uma instituição, abra a possibilidade da participação activa, através da crítica, da opinião e do debate, por um princípio de construir um relato com múltiplos pontos de vista.


P: A Wiki permite mais visibilidade a uma artista que queira mais projecção dentro do mundo da arte?

R: Uma das possibilidades que oferece é a obtenção de um perfil e a introdução de toda a informação que se deseje colocar, mas preferencialmente com uma intenção mais informativa do propriamente ligada ao marketing. Uma artista que introduza informação dá-se a conhecer a através da Wiki-Historias será um valor acrescentado, mas não constituirá um objectivo principal. Hoje em dia a Internet oferece muitas possibilidades para criar de forma muito simples páginas que permitam a auto-promoção. A Wiki pretende ser um ponto de encontro de histórias individuais para poder construir uma história mais heterogénea.


P: Sobre as visitas guiadas com perspectiva de género que a Wiki organiza voluntariamente no Museu de Bellas Artes de Bilbao: Pode dar um exemplo de uma obra que você goste particularmente de comentar e explicar que tipo de leitura faz dessa obra?

R: Há duas abordagens que fazemos na visita. Por um lado, consideramos importante as formas como se tem vindo a representar a mulher ao longo da história da arte, dependendo dos valores e objectivos de cada uma das épocas, a começar pela Idade Média. Vejamos a obra “Lot y sus hijas” de Orazio Gentileschi, que me parece um bom exemplo. Por um lado, o tema representa uma cena bíblica em que as filhas de Lot, depois de terem sido salvas por Yahvéh da destruição de Sodoma, e pelo facto de não encontrarem homens com os quais possam assegurar a sua descendência, incitam o seu pai ao incesto. Portanto, são elas que decidem embebedá-lo para cometer tal acto, ficando assim - o homem, isento de qualquer culpa, à mercê da pérfida vontade das duas mulheres. É um exemplo de uma bela obra, com uma excelente técnica, mas que no entanto perpetua alguns mitos associados à maldade e à perversidade inerentes à mulher. Tentamos apresentar uma outra leitura e, além do mais, é também um bom pretexto para falar da artista - Artemisia Gentileschi, uma das mais reconhecidas pintoras do barroco italiano. Assim, chegamos a um segundo tipo de abordagem em que falamos das próprias artistas e do lugar que ocupam no museu. Para isso, creio que “Femme nue lisant. (Mujer núa que lê)” de Robert Delaunay é o melhor exemplo. Falamos da obra de um homem para destacar a ausência da sua mulher, Sonia Delaunay, artista que para além de pintar, tal como o seu marido, foi designer de roupa e desenvolveu vários negócios próprios. No entanto, a história da arte reconheceu-lhe a ele como o prestigioso artista e fundador do Orfismo, quando a participação dela foi tão indispensável para a criação deste movimento. Isto dá-nos vontade continuar a falar da falta de reconhecimento do trabalho de tantas artistas, da sua escassa presença nos acervos e nas colecções, da responsabilidade que tem o museu, graças ao seu poder de decisão, para legitimar o que é arte e o que não o é, e as dificuldades que pode encontrar uma mulher para chegar a conseguir um reconhecimento como artista, etc.


P: Há muita gente que se inscreve nas visitas guiadas? Há mais homens ou mulheres?

R: É uma das actividades que está a ter mais êxito. Além do mais, como este é o segundo ano de funcionamento da Wiki, cada vez mais as conhecem e cada há vez mais pessoas que por sua vez as dão a conhecer. Embora a maioria sejam mulheres, também há homens que se interessam e que se inscrevem.


P: Que tipo de reacções têm as pessoas?

R: A maioria das pessoas sai muito satisfeita do museu porque planeamos uma leitura diferente das colecções mais clássicas. Tentamos que as visitas sejam o mais participativas possível e que se criem debates muito interessantes, não só em torno de artistas, mas também sobre a situação da mulher em general.



Wiki-Historias
www.wiki-historias.org/Wiki-Historias_(es)/00_Manifiesto

Nota
Para receber o BOLETIM de Wiki-Historias enviar mail a: wikihistorias@gmail.com